ODS 12 em Ação: Logística Reversa Rumo ao Consumo Sustentável

Em setembro de 2015, chefes de Estado, de Governo e altos representantes da Organização das Nações Unidas reuniram-se em Nova York e adotaram a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, a qual inclui os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A nova Agenda de desenvolvimento propõe uma ação mundial coordenada entre os governos, as empresas, a academia e a sociedade civil para alcançar os 17 ODS e suas 169 metas, de forma a erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. As informações apresentadas a seguir esclarecem as principais dúvidas que surgem quando falamos dos ODS: o processo de formatação dos novos Objetivos, a necessidade de continuar o trabalho iniciado pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e as formas de implementação e acompanhamento dos novos Objetivos.

Ao oferecer uma melhor compreensão dos ODS, o PNUD Brasil reforça que o desenvolvimento sustentável só será alcançado mediante o envolvimento, compromisso e ação de todos.

Os 193 países-membros das Nações Unidas adotaram oficialmente a nova agenda de desenvolvimento sustentável, intitulada “Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, na Cúpula de Desenvolvimento Sustentável, realizada na sede da ONU em Nova York, em setembro de 2015. Essa agenda contém 17 Objetivos e 169 metas

Essa agenda universal, integrada e transformadora visa estimular ações que porão fim à pobreza e construirão um mundo mais sustentável nos próximos 15 anos. Essa agenda baseia-se nos êxitos dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), os quais foram adotados no ano 2000 e orientaram as ações de desenvolvimento nos últimos 15 anos.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 12: Consumo e Produção Sustentáveis. Especificamente, a meta 12.5 do ODS 12 aborda diretamente a logística reversa e suas práticas. 

A meta 12.5 busca “Reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso”. Isso inclui a implementação de sistemas de gestão de resíduos sólidos, como a logística reversa, que visa a recolher, reciclar e reutilizar produtos e materiais pós-consumo, em vez de simplesmente descartá-los em aterros sanitários ou incinerá-los.

A logística reversa é um componente fundamental para alcançar essa meta, pois envolve o planejamento, a implementação e o controle do fluxo reverso de produtos, embalagens e materiais, desde o ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor econômico e reduzir o impacto ambiental. Isso contribui para minimizar a geração de resíduos, promovendo práticas de consumo e produção mais sustentáveis.

O conceito de produção e consumo sustentáveis foi formalmente estabelecido, sendo entendido como o “Uso de serviços e produtos relacionados que responde às necessidades básicas humanas e traz uma melhor qualidade de vida ao mesmo tempo em que minimiza o uso de recursos naturais e materiais tóxicos, bem como as emissões de resíduos e poluentes ao longo do ciclo de vida do serviço ou produto, para não colocar em risco as necessidades das gerações futuras. Entende-se como ciclo de vida de um serviço ou produto, todas as etapas necessárias para a existência de um produto ou serviço, que vão desde a extração das matérias-primas, passando pela manufatura, distribuição, uso, até o descarte final, abrangendo a possibilidade de incorporar seus resíduos em novos ciclos produtivos.

Além da análise do ciclo de vida, a produção e o consumo sustentáveis também levam em consideração a cadeia de valor na qual os produtos ou serviços se inserem.

A “cadeia de valor descreve como se desenvolvem as atividades de uma empresa, internamente e por meio de seus parceiros (fornecedores e clientes). Ela começa com a retirada da matéria-prima e vai até à distribuição do produto acabado, quando se tem início uma nova cadeia de valor: a do uso do produto até o seu descarte adequado ou reciclagem e reaproveitamento dos materiais em outros processos de produção”.

O Brasil é detentor de uma base político e legal que o permite trabalhar a sustentabilidade de forma integrada e em diferentes áreas relacionadas à produção e o consumo sustentáveis. 

  • A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), estabelecida pela Lei nº 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto nº 7.404/2010, que determinam novos princípios, objetivos e instrumentos para a gestão de resíduos sólidos do  Brasil. Ademais, estabelece o princípio da responsabilidade compartilhada entre os geradores de resíduos públicos e privados, incluindo os consumidores.
  • A Política Nacional de Educação Ambiental, estabelecida pela Lei nº 9.795/1999, que possibilita criar espaços para que o indivíduo e a coletividade construam valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, essencial à sadia qualidade de vida e ao desenvolvimento econômico.

A implementação e o sucesso da Agenda dependerão de políticas, planos e programas de desenvolvimento, os quais serão de responsabilidade dos países e guiados por eles. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) servirão como guia para alinhar os planos dos países aos seus compromissos globais.

A gestão adequada de resíduos também deve ser considerada uma área prioritária de ação, não só governamental como também da iniciativa privada. 

É necessário revisitar e superar as dificuldades encontradas no âmbito da implementação da Política Nacional de Resíduos, como a falta de recursos adequados, a pequena aderência dos munícipios – que em grande parte não possuem iniciativas de gestão sustentável de resíduos, e a fraca cooperação e colaboração entre os parceiros envolvidos na gestão de resíduos.

Iniciativas de geração de energia renovável por meio da decomposição de orgânicos (biogás), de transformação de lixo em produtos (economia circular) e o investimento em infraestrutura para garantir a aplicação da logística, devem ser impulsionadas.

A Economia Circular e a Ecoinovação, têm se mostrado como importantes metodologias de mudança do setor produtivo em prol da sustentabilidade.

Instituições financeiras têm procurado identificar e incentivar ações sustentáveis inovadoras em diferentes setores produtivos e para empresas de pequeno a grande portes. No que diz respeito aos consumidores, percebe-se a necessidade de se ampliar o debate sobre o consumo sustentável e os riscos em se manter os atuais padrões de consumo em todos os setores da sociedade.

Isso se torna mais importante ainda, ao considerarmos o aumento da renda da população e, consequentemente, o aumento do consumo de bens e serviços.

Parcerias entre grupos interessados têm sido reconhecidas como um importante componente de estratégias que procuram mobilizar a todos em torno da nova Agenda

Faça parte da Academia Lixo Zero, ajudamos você e a sua empresa a implementar as ODS e criar um futuro mais equilibrado e sustentável.

Fontes:

BRASIL, ONU. Documentos Temáticos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Brasil. Brasília: Organização das Nações Unidas, 2018.

Brasil | United Nations Development Programme (undp.org)

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Este curso é recomendado para profissionais da área ambiental, gestores públicos, educadores, ativistas ambientais e todos aqueles interessados ​​em se destacar no mercado sustentável. Se você está em busca de uma formação completa e reconhecida na área de gestão ambiental, o Curso Consultor Lixo Zero é ideal para você.

Um dos grandes desafios enfrentados diariamente por muitas empresas é a gestão de grandes volumes...

conheça nossos cursos

Atuando como um canal de formação, a Academia Lixo Zero estrutura-se em diversas áreas de...

16NOV_Sustentabilidade

Investir em sustentabilidade nas empresas é fundamental não apenas como uma resposta ética aos desafios...

06NOV_Noticia

Considerando que o Mercado Internacional está fortemente voltado à importância e alerta para as Mudanças...

Versao_Menor

Cumprir a responsabilidade ambiental corporativa (RSC) significa que as empresas devem assumir a responsabilidade de...

curso_academia_lixo_zero

A capacitação em gestão de resíduos sólidos representa um investimento estratégico fundamental para as empresas...

LR_academia_lixo_Zero1

A gestão adequada de resíduos sólidos e a redução do impacto ambiental tornaram-se prioridades globais,...

academia_lixo_zero

Espera-se que os resíduos globais aumentem para 3,40 mil milhões de toneladas até 2050, mais...

PALESTRA
Economia Circular e Lixo Zero

A Economia Circular é outra temática muito importante que a Academia Lixo Zero aborda em seus treinamentos e palestras. Ela se baseia na ideia de que os recursos naturais são limitados e, por isso, é fundamental que sejam utilizados de forma mais eficiente e sustentável, evitando o desperdício e a geração excessiva de resíduos.

A Economia Circular propõe um modelo de produção e consumo que busca manter os materiais em uso pelo maior tempo possível, evitando que sejam descartados e transformando-os em novos produtos ou matérias-primas. Isso significa repensar a forma como os produtos são projetados, fabricados, utilizados e descartados, de forma a reduzir a geração de resíduos e a maximizar o valor dos recursos naturais.

A Academia Lixo Zero oferece essa palestra buscando apresentar os conceitos da Economia Circular, suas oportunidades e desafios, bem como exemplos práticos de empresas que estão adotando esse modelo de negócio. Nossa palestra aborda desde a gestão adequada dos resíduos no modelo lixo zero até a implementação de estratégias de economia circular em diferentes setores da economia.

PALESTRA
ESG, ODS e Lixo Zero

A temática ESG tem ganhado cada vez mais destaque no mundo corporativo, uma vez que as empresas têm percebido que seus resultados financeiros e sua reputação estão diretamente relacionados com seu desempenho ambiental, social e de governança.

Por isso, a Academia Lixo Zero busca apresentar conceitos e boas práticas relacionados à gestão ambiental, responsabilidade social e governança corporativa. Nosso objetivo nesta palestra é ajudar as empresas a compreenderem como esses temas se relacionam e como podem ser implementados em suas atividades cotidianas, para que possam gerar um impacto positivo na sociedade e no meio ambiente.

Além disso, abordamos também os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, que representam um conjunto de metas globais que buscam erradicar a pobreza, proteger o planeta e promover a paz e a prosperidade para todos. Os ODS são uma referência importante para as empresas que desejam adotar práticas sustentáveis e contribuir para o desenvolvimento sustentável global.

PALESTRA
Resíduos, Lixo Zero e Certificação

A Gestão de Resíduos é uma preocupação crescente no mundo moderno, onde a sustentabilidade se tornou um aspecto crucial para a saúde do nosso planeta e o bem-estar das futuras gerações. Visando promover este conceito vital, a palestra “Resíduos, Lixo Zero e Certificação Lixo Zero” foi pensada para atender às necessidades das empresas e organizações que buscam compreender, mas também implementar práticas sustentáveis em sua gestão de resíduos.

O foco principal desta palestra é explorar os fundamentos da gestão de resíduos sob a ótica do Lixo Zero. Ela aborda uma variedade de estratégias eficazes para minimizar a geração de resíduos, destacando a importância da redução na fonte, reutilização e reciclagem. Estas práticas são essenciais não apenas para a redução do impacto ambiental, mas também para a promoção de um estilo de vida e de operações empresariais mais sustentáveis.

Um aspecto chave da palestra é a introdução à Certificação Lixo Zero. Esta seção detalha os critérios necessários para que uma organização seja reconhecida como Lixo Zero, além de discutir os benefícios significativos dessa certificação. Tais benefícios não se limitam apenas a melhorias ambientais, mas também incluem vantagens competitivas no mercado e a valorização da imagem corporativa.