Limpeza do interceptor oceânico já causa melhoria na qualidade da água na Praia de Botafogo

Três meses após seu início, a limpeza do interceptor oceânico — estrutura que leva o esgoto de oito bairros da Zona Sul até o emissário submarino de Ipanema — já trouxe resultados positivos para a despoluição de um cartão-postal da cidade, tão conhecido pela beleza quanto pela sujeira de suas águas e faixa de areia. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a Praia de Botafogo apresentou índices próprios de balneabilidade em dois boletins seguidos no mês de junho e dois boletins em julho, o que não ocorria há seis anos.

Inaugurado na década de 1970, o interceptor tem nove quilômetros de extensão e, agora aos cuidados da concessionária Águas do Rio, passa por uma faxina pela primeira vez.

— É uma questão de natureza técnica. A partir do momento que você tem exemplos como o da Praia de Botafogo e a Marina da Glória, de problemas históricos sendo neutralizados, você vê que o negócio acontece. Não é que não tem jeito, não se queria que tivesse jeito. Depois de aplacarem causas da poluição na Baía de Guanabara, a natureza começa a trabalhar. Se você parar de lançar qualquer poluente aqui, daqui a um tempo os níveis de poluição estarão bem melhores — diz o biólogo Mário Moscatelli.

A falta de chuvas, que costumam carregar dejetos da cidade até o mar, deu uma forcinha para emprestar às águas da Enseada de Botafogo aparência surpreendentemente limpa. Moscatelli aponta, no entanto, outras bem-vindas novidades:

— Além das condições climáticas, destacaria algo que foi observado no dia 16 de junho, quando as águas, em plena maré baixa, estavam cristalinas. Isso ocorreu porque os despejos de esgoto que ocorriam na foz dos rios Banana Podre e Berquó haviam sido de alguma forma neutralizados.

Além do trabalho de desobstrução do interceptor oceânico, o que combate o extravasamento do esgoto para os rios e a baía, a Águas do Rio implantou uma estação elevatória (unidade de bombeamento) na Praça do Índio, no Flamengo, que desvia para o interceptor cerca de 50 litros por segundo de esgoto, antes a caminho do mar, em um trecho entre as praias do Flamengo e de Botafogo.

O mesmo sistema que leva o esgoto da Zona Sul para o emissário submarino também vem recebendo o curso do Rio Carioca, para evitar que aproximadamente 180 litros por segundo de água com contribuições ilegais de esgoto sejam despejados diretamente na Baía.

Metas de despoluição

 

A concessionária tem metas de saneamento para os próximos 35 anos. Nos cinco primeiros, o investimento previsto, de R$ 7,4 bilhões, contempla o término da construção dos coletores de esgoto ao redor da baía e do esgotamento sanitário nos municípios que contribuem com a Bacia do Guandu.

— Vamos fornecer condições para a Baía de Guanabara se regenerar e, em cinco anos, vamos ter uma mudança que poderá ser notada pelo carioca — assegura Sinval Andrade, diretor superintendente da Águas do Rio.

A expectativa é que a intervenção no interceptor submarino retire, até março de 2023, duas mil toneladas de materiais acumulados, melhorando o sistema de esgoto e reduzindo o tradicional mau cheiro na altura do Posto 5, na Praia de Copacabana. A operação, que começou em abril, já coletou 600 toneladas no trecho entre a Glória e Botafogo e, desde 21 de junho, outras 140 foram recolhidas no trecho de Copacabana.

Por Marcella Sobral, Jornal O Globo

Gostou deste conteúdo? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Este curso é recomendado para profissionais da área ambiental, gestores públicos, educadores, ativistas ambientais e todos aqueles interessados ​​em se destacar no mercado sustentável. Se você está em busca de uma formação completa e reconhecida na área de gestão ambiental, o Curso Consultor Lixo Zero é ideal para você.

Um dos grandes desafios enfrentados diariamente por muitas empresas é a gestão de grandes volumes...

CAPAS BLOG

Na última Comissão de Meio Ambiente do Senado Federal, que aconteceu no dia 20 de...

CARBON Zeros capas blog - 7

A cidade de Florianópolis, famosa por suas praias de águas cristalinas e paisagens naturais preservadas,...

capa_blog_reduzido ACAD

A gestão de resíduos sólidos desempenha um papel fundamental na busca pela sustentabilidade empresarial, pois...

Versao_Menor

O ODS 11, que busca promover cidades sustentáveis e resilientes, destaca a importância da gestão...

Versao_Menor

Poluição plástica Não vamos reciclar a nossa saída da crise da poluição plástica: precisamos de...

Versao_Menor

Incêndio em Teresópolis: lixão está há 28 anos à espera de regulamentação Município aguarda reunião...

Versao_Menor

A ‘economia azul’ é um conceito emergente que incentiva a exploração sustentável, a inovação e...

PALESTRA
Economia Circular e Lixo Zero

A Economia Circular é outra temática muito importante que a Academia Lixo Zero aborda em seus treinamentos e palestras. Ela se baseia na ideia de que os recursos naturais são limitados e, por isso, é fundamental que sejam utilizados de forma mais eficiente e sustentável, evitando o desperdício e a geração excessiva de resíduos.

A Economia Circular propõe um modelo de produção e consumo que busca manter os materiais em uso pelo maior tempo possível, evitando que sejam descartados e transformando-os em novos produtos ou matérias-primas. Isso significa repensar a forma como os produtos são projetados, fabricados, utilizados e descartados, de forma a reduzir a geração de resíduos e a maximizar o valor dos recursos naturais.

A Academia Lixo Zero oferece essa palestra buscando apresentar os conceitos da Economia Circular, suas oportunidades e desafios, bem como exemplos práticos de empresas que estão adotando esse modelo de negócio. Nossa palestra aborda desde a gestão adequada dos resíduos no modelo lixo zero até a implementação de estratégias de economia circular em diferentes setores da economia.

PALESTRA
ESG, ODS e Lixo Zero

A temática ESG tem ganhado cada vez mais destaque no mundo corporativo, uma vez que as empresas têm percebido que seus resultados financeiros e sua reputação estão diretamente relacionados com seu desempenho ambiental, social e de governança.

Por isso, a Academia Lixo Zero busca apresentar conceitos e boas práticas relacionados à gestão ambiental, responsabilidade social e governança corporativa. Nosso objetivo nesta palestra é ajudar as empresas a compreenderem como esses temas se relacionam e como podem ser implementados em suas atividades cotidianas, para que possam gerar um impacto positivo na sociedade e no meio ambiente.

Além disso, abordamos também os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, que representam um conjunto de metas globais que buscam erradicar a pobreza, proteger o planeta e promover a paz e a prosperidade para todos. Os ODS são uma referência importante para as empresas que desejam adotar práticas sustentáveis e contribuir para o desenvolvimento sustentável global.

PALESTRA
Resíduos, Lixo Zero e Certificação

A Gestão de Resíduos é uma preocupação crescente no mundo moderno, onde a sustentabilidade se tornou um aspecto crucial para a saúde do nosso planeta e o bem-estar das futuras gerações. Visando promover este conceito vital, a palestra “Resíduos, Lixo Zero e Certificação Lixo Zero” foi pensada para atender às necessidades das empresas e organizações que buscam compreender, mas também implementar práticas sustentáveis em sua gestão de resíduos.

O foco principal desta palestra é explorar os fundamentos da gestão de resíduos sob a ótica do Lixo Zero. Ela aborda uma variedade de estratégias eficazes para minimizar a geração de resíduos, destacando a importância da redução na fonte, reutilização e reciclagem. Estas práticas são essenciais não apenas para a redução do impacto ambiental, mas também para a promoção de um estilo de vida e de operações empresariais mais sustentáveis.

Um aspecto chave da palestra é a introdução à Certificação Lixo Zero. Esta seção detalha os critérios necessários para que uma organização seja reconhecida como Lixo Zero, além de discutir os benefícios significativos dessa certificação. Tais benefícios não se limitam apenas a melhorias ambientais, mas também incluem vantagens competitivas no mercado e a valorização da imagem corporativa.